Jovens Fascistas x Jovens Modernos

“Pode haver e realmente há homens no Ocidente e nos Estados Unidos da América que não concordam com o estado atual de coisas e não aprovam a modernidade e a pós-modernidade, sendo os defensores da tradição espiritual do Ocidente pré-moderno. Eles devem estar conosco em nossa luta comum. Eles devem tomar parte em nossa revolta contra o mundo moderno e o mundo pós-moderno. E nós lutaríamos juntos contra um inimigo comum.” – Aleksandr Dugin

“Tradição não é simplesmente o passado.
O passado é o marco. A Tradição é a continuidade.
O passado é o acontecimento que fica. A Tradição é o fermento que prossegue.
O passado é a paisagem que passa. A Tradição é a corrente que continua.
O passado é a mera estratificação dos fatos históricos já realizados.
A Tradição é a dinamização das condições propulsoras de novos fatos.
O passado é estéril, intransmissível. A Tradição é essencialmente fecundadora e energética.
O passado é a flor e o fruto que findaram. A tradição é a semente que perpetua.
O passado é o começo, as raízes. A Tradição é a seiva circulante, o prosseguimento.
O passado explica o ponto de partida de uma comunidade histórica.
A tradição condiciona o seu ponto de chegada.
O passado é a fotografia dos acontecimentos. A tradição é a sua cinematografia.
Enfim: Tradição é tudo aquilo que do passado não morreu.” – Hélio Rocha

O modernismo é uma das facetas do mal que corrói e destrói qualquer nação. Todas as nações onde as tradições e os valores morais e espirituais foram abandonados ou deixados em segundo plano hoje pagam caro por isso. Não é diferente em nosso país que marcha rumo ao abismo e impulsionado pro movimentos liberais de esquerda e de direita. O que eles querem? Basicamente destruir tudo que é belo,moral e correto. Eles querem que seu filho use drogas e essa seja vendida na porta da escola se possível. Eles querem que sua filha use roupas imorais e tenha comportamentos vulgares. Eles querem que família preste continência aos movimentos gayzistas. Eles querem que qualquer mulher em qualquer situação possa abortar (assassinar). Eles querem se apossar do seu dinheiro sobre o pretexto de ajudar os pobres. Eles querem corroer tua alma/espírito propagando o anti-cristianismo e o neoateismo. Por fim eles querem te destruir a qualquer custo.

O clamor deve ser único: Não deixaremos e combateremos até o fim, a ferro e fogo. As nações de cunho liberal e capitalista foram as primeiras á ceder e ingressar em um processo de subserviência á pós-modernidade (vale ressaltar que a ideologia que deu inicio á pós-modernidade foi o liberalismo). Afirmo isso com toda a certeza, os países de cunho liberal foram os primeiros á discutir abertamente a questão do casamento gay, feminismo, legalização das drogas e aborto.

Além de serem os primeiros á discutir abertamente essas questões, foram os maiores apoiadores e financiadores de ongs e movimentos políticos que defendiam tal causa. A pergunta é: por que o liberalismo não serve pra defender a tradição? O que ele tem de tão ruim assim? Uma palavra: individualismo. O que é pro nazi-fascismo a raça e pro comunismo o proletário, pro liberalismo é o individuo e suas liberdades. Como eu disse acima, a tradição tem relação com a identidade cultural, espiritual e social de um povo, sendo assim a tradição tem como base estrutural a memória coletiva (sendo que não existe tradição individual), como um principio ideológico que preza o individuo agregaria os valores trazidos por um ente que tem sua estrutura na memória coletiva? A memória coletiva é a alma do dasein, é a alma da tradição, sem a memória coletiva os povos não teriam tradição; o liberalismo é assim a morte da tradição, o individuo contra a comunidade.

Conscientes de que, conforme sentenciou Corneliu Codreanu, “o homem novo e a nação renovada pressupõem uma grande revolução espiritual de todo o povo, isto é, uma mudança da orientação espiritual moderna, e uma ofensiva categórica contra essa organização”, proclamamos que a autêntica Revolução deve principiar no Homem, correspondendo à Revolução Interior, ou Revolução do Espírito, de que fez Plínio Salgado um dos pilares fundamentais de sua Doutrina cívico-política. Esta Revolução se configura numa mudança de atitude em face dos problemas que lhe são apresentados, numa transmutação total de valores que, de acordo com o sentido cósmico e tradicional do vocábulo “Revolução”, implica na restauração daquele a quem podemos denominar o Homem Autêntico, Homem Integral, ou, simplesmente, o Homem. Daí podermos chamá-la, como o fizeram João Ameal e Plínio Salgado, a “Reconstrução do Homem”, título, aliás, de uma das mais importantes obras deste último.

Abaixo vamos resumir basicamente o jovem do mundo moderno e o jovem do fascismo.

 

Jovem Moderno

A Juventude moderna está com um pensamento deturpado e fundamentado exclusivamente nos prazeres carnais. Atualmente a cultura do sexo e ostentação é o que é mais valorizado. O jovem que não está em meio promíscuo, não participa de festas/baladas, não bebe e não usa drogas é logo rotulado como retrógrado, besta e que não aproveita a vida. Os jovens não são criados para que desenvolvam a intelectualidade, o gosto pelo belo, a preservação das tradições, a busca por um trabalho digno e honesto e a formação da família.

Quando se fala em casamento no mundo moderno logo a aversão toma conta. Quando se fala em estudar bem para ter um trabalho digno e um futuro razoável, logo dizem que o estudante vai perder o juízo e que deve-se aproveitar a vida curtindo e procurando garotas para satisfazer seu ego.

 

As jovens não se portam como verdadeiras damas. Como querem ser tratadas como damas se as mesmas se comportam como vadias? Os trajes, a fala, o comportamento em geral não condiz com o de uma mulher honrada. Muitas vivem para o materialismo, buscando homens que tenham bens materiais e beleza, não se importando com o caráter e o pensamento do mesmo. A quantidade de relacionamentos e casamentos fracassados não é por acaso. A modernidade e a cultura da ignorância resulta nisso: Promiscuidade, imoralidade, filhos indesejados, aborto, drogas, casamentos destruídos e tudo que há de baixo, imoral e sem escrúpulos.

Jovem Fascista

Será que a juventude fascista era perfeita e não tinha problemas? Obviamente que não, porém, estava anos-luz à frente da juventude moderna.

 

Vejamos uma breve descrição sobre a Juventude Fascista:

“A educação da juventude idealizada por Renato Ricci seguia o lema: Libro e
Moschetto
, que consistia em formar moralmente e fisicamente cada membro e
menina pertencente à organização. Deste modo, a formação militar dos meninos
reunia atividades de tipo psicológicas e físicas como: palestras, viagens,
acampamentos, cerimônia de culto aos mortos, educação física, exercícios
militares e práticas desportivas
. Todas estavam inter-relacionadas de forma a
proporcionar aos jovens uma boa formação moral, social e física. A primeira
coisa que temos que ter em mente para compreender a educação militar dos
rapazes é que o Fascismo desejava construir um “novo homem”, cujos ideais e
valores morais se distanciavam do individualismo exaltado pelo liberalismo.
Assim, esperavam que o “novo homem” fascista internalizasse as seguintes
qualidades: coragem, virilidade, respeito à hierarquia, disciplina, força, vontade.
Todas eram qualidades militares e masculinas, que ao serem absorvidas fariam dos jovens e das crianças bons soldados, bons pais de família, bons maridos, bons trabalhadores e seguidores fieis do Fascismo
. Vale observar que homens e mulheres tinham papéis sociais diferentes e o funcionamento perfeito da sociedade fascista dependia de que cada um assumisse o papel que lhe cabia.
Neste contexto, as atividades recreativas e intelectuais eram tão importantes
para a formação militar como a educação física ou os exercícios militares,
segundo a concepção de Ricci.

(…)

As escolas, as universidades, as associações de trabalhadores (Dopolavoro), o cinema e as organizações da juventude assumiram a função de educar o “novo homem” e de divulgar a cultura política do novo regime. Nas instituições do Fascismo, meninos e meninas recebiam uma educação voltada para a vida fascista, onde aprendiam
que valores internalizar, como se comportar no dia a dia e que
papéis sociais assumir. ”

 

O jovem fascista era educado e moldado para que fosse um verdadeiro homem da pátria e da família e não um jovem delinquente sendo subjugado por uma sociedade degenerada e escravo de valores imorais.

Uma pergunta final: Qual dos dois exemplos mencionados aparentemente é o mais correto? Como você gostaria que seu filho(a) se comportasse?

Nosso grupo permanece firme na luta, movidos pela chama de um ideal firme, honesto, real e que busca formar homens e mulheres de verdade. Não iremos parar. Não iremos nos cansar. Mesmo que um dia todos os camaradas venham a tombar, o ideal pode até adormecer mas um dia será reerguido (como está sendo agora) por mais jovens valentes e que amam sua pátria!

Avante! A noi!

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s